1.º de Maio: Costa pede que se avalie impacto da Agenda do Trabalho Digno

Posted by
Spread the love

O ex-primeiro-ministro António Costa considerou hoje que “continuar a aumentar o valor dos salários no PIB” deve ser um objetivo do atual Governo e considerou necessário avaliar o impacto da Agenda do Trabalho Digno.

Numa publicação na rede social X (antigo Twitter), António Costa defendeu a necessidade de “manter o emprego em máximos, promover trabalho digno e salários justos”.

“Um objetivo: continuar a aumentar o valor dos salários no PIB. É necessário: monitorizar o impacto da Agenda do Trabalho Digno na dinamização da contratação coletiva e na regulação do trabalho nas plataformas”, indicou.

O Dia do Trabalhador é hoje comemorado em todo o país, com as centrais sindicais CGTP e UGT a promoverem manifestações e iniciativas pela valorização dos trabalhadores.

Numa outra publicação na mesma rede social, o antigo primeiro-ministro falou também da União Europeia (UE) e dos desafios do futuro.

“Celebramos 20 anos do alargamento da #UE a Chipre, Chéquia, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Malta, Polónia, Eslováquia e Eslovénia, o grande alargamento geopolítico da UE. É tempo de nos prepararmos para um desafio ainda maior: acolher os países dos Balcãs, a Ucrânia, a Moldova e a Geórgia”, escreveu.

António Costa assinalou que este é um “desafio para os candidatos, para a UE e para Portugal”.

A União Europeia assinala hoje o vigésimo aniversário do último grande alargamento do bloco comunitário, em 2004, ano em que aderiram dez Estados-membros, e simultaneamente prepara-se para abrir as portas a novos candidatos.

A Albânia, Bósnia-Herzegovina, Macedónia do Norte, Montenegro, Sérvia, Turquia, Ucrânia, Moldova e Geórgia são oficialmente países candidatos à adesão, juntando-se com o Kosovo, que apresentou o pedido em 2022, mas cuja independência não é reconhecida por cinco Estados-membros da UE (Espanha, Roménia, Grécia, Eslováquia e Chipre).

Portugal pertence à UE desde 12 de junho de 1985.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.